Monday, 28 September

8a.nu stats

81 178

members

5 862 586

total ascents

38 963

ascents last 30 days

351

ascents today

Forum

Brazil

Escalada e Identidade: Quem faz a escalada?

Rafael Briones
Escalada e Identidade: Quem faz a escalada?                  Nos últimos anos a escalada esportiva tem dado grandes saltos evolutivos, com um número cada vez maior de praticantes. O impulsionamento visto neste esporte, é causado em parte pelos inúmeros ginásios de escalada existentes na atualidade, pelas redes sociais e também pela mídia esportiva que promove esta modalidade, de forma à capitalizar o esporte. A escalada em dificuldade é algo bastante comum nos dias de hoje, e a barreira do 8° grau (francês) não é mais quebrada por poucos escaladores. Há uma infinidade de esportistas escalando vias ou boulderes de alto nível de dificuldade, e até adolescentes e crianças encadenando lances extremamente duríssimos. Entretanto, a "filosofia" da montanha parece ter se perdido, em meio a esta avalanche de informação, onde muitos jovens aprendem a subir a rocha, sem antes entender o montanhismo. Nas academias de escalada as pessoas aprendem técnicas para ascensão, treinam a força física, mas a ética e o consenso muitas vezes não são discutidos e priorizados, e muitos escaladores acabam visando apenas a competitividade, menosprezando a essência da escalada. Com o advento da internet, e com a evolução das mídias sociais, os grandes feitos são promovidos e divulgados por grandes corporações, onde algumas marcas acabam influenciando e moldando os escaladores dos dias de hoje. As diversas formas de divulgação do esporte, com por exemplo, sites e blogs, podem incentivar e disseminar o espírito do montanhismo, mas em muitos casos este legado, nem sequer é lembrado, e a juventude mal sabe o que é uma montanha. E pior do que isso, acabam utilizando siglas ou a logomarca da empresa que consomem, ao invés de assinar o próprio nome, deixando de lado sua identidade como escalador. Quem realmente faz a escalada? Seriam pessoas, siglas ou as empresas?                                                                                  Rafael Briones Matheus